Por Bartira Araújo

O Enem 2020 recebeu uma atualização em seu edital. O Ministério da Educação (MEC) publicou uma retificação em que informa que será obrigatório o uso de máscaras nos dias das provas. Elas deverão ser utilizadas na entrada, durante as provas (impressa ou digital) e na saída.

Os estudantes podem levar outra máscara para trocar, caso seja necessário. Vale lembrar que a não utilização pode acarretar em desclassificação do Enem. A notícia foi publicada no último dia 31, sexta-feira, no Diário Oficial da união (DOU).

Ao fim do período das inscrições, foi constatado que há mais de 5,8 milhões de estudantes inscritos para a realização do exame. Apenas 96 mil optaram pela prova de forma digital.

É importante ressaltar que, além da obrigatoriedade das máscaras, o edital informa que há a necessidade de manter um distanciamento entre os candidatos. Provavelmente, as carteiras ficarão a 1,5m de distância umas das outras.

Mudanças no Enem 2020

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), costuma ser realizado no mês de novembro de cada ano. Porém, por conta da pandemia, foi preciso um adiamento para evitar contaminações e também para não prejudicar estudantes de baixa renda.

Por isso, foi necessário que houvesse uma nova publicação de edital, para informar a nova data das provas. Agora, os exames serão feitos nos meses de janeiro e fevereiro. Com isso, os resultados só ficarão disponíveis no mês de março.

Confira o cronograma

Provas impressas:
17 e 24 de janeiro, para 5,7 milhões inscritos
Prova digital:
31 de janeiro e 7 de fevereiro, para 96 mil inscritos
Reaplicação da prova:
24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)
Resultados: a partir de 29 de março

Por conta das mudanças nas datas, algumas universidades estaduais de São Paulo, estão realizando mudanças em seus processos seletivos. A Unesp, a USP e a Unicamp não utilizarão os resultados do Enem para a concessão de vagas aos estudantes.

Essas instituições vão utilizar o vestibular tradicional para o processo seletivo de seus cursos. Lembrando que isso será necessário para não atrapalhar o calendário letivo.

Com os resultados do Enem sendo liberados apenas no fim de março, fica inviável para essas universidades aguardar para a liberação de vagas.