Principal causa da contaminação entre profissionais de saúde é a exposição, agressividade e contagiosidade do vírus, diz o Sindmepa

Quarenta e sete médicos do Pará já morreram em virtude da pandemia da covid-19, de acordo com levantamento do Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa). Não necessariamente, faleceram no Estado do Pará. Alguns estavam atuando em outras praças. A informação foi repassada pelo Sindmepa nesta terça-feira (25).

A entidade inaugurou um memorial em homenagem aos médicos mortos durante a pandemia. “Quando o memorial foi pensado, em maio, eram 28 mortos. Entrou no ar em julho e hoje já são 47 nomes de médicos vítimas da Covid. Não podemos afirmar que todos os que morreram estavam no exercício de sua função profissional, mas podemos afirmar que a maioria sim”, externou o Sindmepa.

Contágio

Para o sindicato, a quantidade elevada de casos e óbitos entre profissionais de Saúdie no País, por contágio do novo coronavírus, relaciona-se com o fato de que “a principal causa da contaminação entre profissionais de saúde é a exposição, agressividade e contagiosidade do vírus”.

“Além disso, o contato com vários infectados aumenta a carga viral a que os trabalhadores estão submetidos. Para reduzir isso, só aumentando as medidas de proteção, treinamento dos profissionais, obediência às medidas protetivas por parte de todos os trabalhadores de saúde”, acrescenta.